[principal] [primeiros passos] [planeta azul] [trabalho] [vestir o que?] [alimentando-nos] [meio-ambiente] [exercitando-nos] [textos] [administrando as contas] [mais compromisso] [mais saúde] [mais beleza] [mais livres] [voluntarios] [cidadãos do planeta Terra] [links] [livros] [entre em contato]

 

 

Cidadãos do Planeta Terra

 

 

Se com razão nos preocupamos com a preservação de nossas florestas, mares, rios, nossa fauna e todos os demais bens que recebemos de Deus, muito mais devemos nos preocupar com a "preservação" do ser humano, chamado por Deus a dar nome a tudo o que por Ele foi criado. Ao dar nome, nos apossamos, somos senhores, donos. Então o homem foi posto como "senhor da Criação" e ao que parece tem feito de tudo para destruí-la. Infelizmente.

Creio que todos os animais, ou quase todos, ao nascer já podem "se virar", como se diz. Alguns já nascem andando, emitindo seus sons próprios, procurando a comida, a água, como a tartaruguinha. O ser humano é totalmente dependente. Carece de todos os cuidados, precisa ser amamentado ao colo, aquecido, receber carinho, higiene, etc e se abandonado, com toda certeza morre em poucos dias. Há casos de bebês deixados em lixeiras - que vergonha para a humanidade - que sobrevivem alguns dias, à espera do socorro milagroso.

Porém sabemos que nem todos são acolhidos com amor nesse mundo, ainda tão carente de uma consciência humanitária e solidária. A compaixão, o "sentir com" o outro, ainda é sentimento obscuro para muitos de nossos irmãos que vagueiam, na ignorância de sua própria dignidade e na dos seus iguais.

Sabemos também que muitas crianças hoje, sofrem VIOLÊNCIA, dentro de seus próprios lares, e de seus próprios pais, aqueles que devem cuidar de suas vidas, aqueles que os trouxeram a este mundo, são muitas vezes os que lhes tiram a Vida.

Aqui vão alguns indícios para que possamos perceber se está sendo praticada violência contra alguma criança perto de nós, para que possamos denunciar. Não devemos nos calar diante de nenhuma espécie de violência, mas DENUNCIAR SEMPRE, como profetas da justiça e da verdade.

 

Como saber se há violência

 

Indicadores Físicos

  • Presença de feridas e fraturas que não correspondem à causa alegada, além de marcas espalhadas pelo corpo no formato de cigarros, dentadas, cintos, escovas de cabelo, ferro elétrico, sim senhor!

 

Comportamento da Criança

  • Está sempre em estado de alerta e se assusta ao ouvir gritos ou brigas na rua.
  • Demonstra desconfiança no contato com adultos.
  • Teme os pais e os evita.
  • Tem dificuldade de aprendizagem ou de relacionamento na escola.

 

Comportamento dos Pais

  • Trata o filho como se fosse um objeto, descrevendo a criança como má e desobediente.
  • Defendem disciplina severa.
  • Evitam se relacionar com os vizinhos e mantém a casa sempre trancada.
  • Culpam os filhos por problemas no lar e na escola - os filhos são o grande problema em suas vidas.

 

Como Denunciar

  • Procure as autoridades responsáveis ou telefone falando a respeito do fato presenciado. Você não precisa apresentar provas, pois cabe a eles apurar os fatos. Sua denúncia pode ser anônima.
  • Juiz da Infância e da Juventude
  • Autoridade policial
  • Promotor da Infância e da Juventude
  • Conselhos Tutelares

Disque Denúncia : 0800-990500

Disque Direitos Humanos: 0800-311119

 

ANDI

Agência de Notícias dos Direitos da Infância

 

 

 

 

"O que fizerdes ao menor desses pequeninos, a mim o fizestes", diz o Senhor
COMO SEU FILHO(a) PREENCHE SEU TEMPO? Leia

Cidadania começa com o respeito à Vida, ao Outro. Não ao Aborto, Não às drogas, não ao desrespeito ao outro, NÃO à falta de Amor. Essa página ainda vai crescer. Volte, dê sugestões, colabore. Estamos em defesa da SIMPLICIDADE, do AMOR, da JUSTIÇA, de mais QUALIDADE DE VIDA.

Mais alguns links interessantes sobre jogos infantis, a violência implícita neles, o cuidado de pais e educadores. Leiam e repassem aos amigos, parentes. Esse assunto é da mais alta importância.


http://www.multirio.rj.gov.br/riomidia/por_noticia_home_topo.asp?id_noticia=61
http://www.aprendebrasil.com.br/noticiacomentada/020315_not01.asp
http://conhecimento.incubadora.fapesp.br/portal/wiki/SegundaFaseAInflu_c3_aanciaDosJogosAspectosEcon_c3_b4micosESociais http://www.efdeportes.com/efd80/video.htm http://www.watchtower.org/languages/portuguese/library/g/2002/12/22/article_02.htm
http://www.terra.com.br/istoe/1785/ciencia/1785_premio_a_violencia.htm

 

Arauto da Não-violência, do Amor, do Respeito, da Dignidade do Ser Humano

 

EDUCANDO PARA A VIDA

Pais, educadores, devem se conscientizar de seu papel e assumi-lo para valer. Regras básicas de civilização e convivência não estão sendo ensinadas, passadas de pais para filhos, em muitas comunidades, no mundo inteiro, creio.

Com as mães, trabalhando fora para ajudar a manter o lar, perde a educação dos filhos, pois não têm tempo, nem se lembram, talvez, de ensinar o básico:

- Ensine seus filhos as regras da cordialidade, do respeito aos mais velhos, a ceder o lugar no ônibus, a respeitarem o direito dos vizinhos. "O meu direito termina onde começa o direito do outro". Isso também vale para a educação e cordialidade com os empregados de sua casa, de sua empresa, de seu prédio. Não é por que a outra pessoa é humilde, presta serviços em nossa casa que vamos humilhá-la e sermos rudes.

- Ensine-os a se contentarem com o que vc puder dar, e não exigir a roupa de marca que seu colega tem, custe o que custar. "A roupa não faz o monge", e nós não somos mais ou melhores apenas por causa da roupa que vestimos, do tênis ou sapato que usamos, dos lugares mais caros que frequentamos, dos carros que temos. A vida se vive "sendo" e não "tendo".

- Ensine-os a comer nas horas certas. Essa disciplina vai ajudá-los a ter mais saúde, a se alimentarem melhor. O hábito de comer a toda hora está transformando crianças bonitas em crianças obesas e doentes. Disciplina é essencial à nossa vida. A própria Bíblia Sagrada nos ensina a corrigir e educar nossos filhos para não nos arrependermos depois. Leia o Eclesiástico, Eclesiastes, e vc vai confirmar isso.

- Ensine-os, tanto os meninos quanto as meninas, a arrumarem suas camas, mesmo que você tenha empregada. Ensine-os a guardarem os brinquedos nos lugares apropriados;a deixarem o banheiro arrumado após o banho, sem roupas espalhadas pelo chão...Não custa nada, aprendem um pouco de disciplina e de ordem, de quebra. Ensine-os também a ajudá-la na cozinha, não custa eles se revezarem no lavar a louça, ajudá-la a guardar as compras do supermercado. Ensine-os e eles gostarão de fazer isso, mesmo que reclamem um pouco no começo. Vai sobrar tempo para vocês conviverem mais juntos, passearem mais e brincarem mais se dividirem o serviço entre todos os da casa. Dá trabalho, mas não desanime, insista que você se sentirá recompensada ao final.

- Ensine as meninas as jovens, a lavarem suas calcinhas! Sim, a geração que hoje tem seus 40, 50 anos, aprendeu isso. Aprendeu também a fazer um café, afogar um arroz, feijão, colocar a mesa para o almoço, o lanche. Elas vão aprendendo, se preparando para quando se casarem. Nem sempre se tem empregada, mesmo quando se pode pagar uma. Nem sempre as empregadas sabem fazer direito. Até para saber dar ordens, é preciso antes aprender. Mesmo que vc tenha uma situação financeira boa, estará prestando uma grande ajuda aos seus filhos, mesmo os homens, ensinando-lhes a cozinhar, pelo menos o básico de cada dia.

- Se hoje em dia não há trabalho masculino nem feminino, principalmente nos países do primeiro mundo, então por que no Brasil temos a mania de achar que lavar pratos é coisa de mulher? Nada disso, o homem também pode muito bem ajudar na cozinha. Isso em nada o desmerece, pelo contrário. Mostra que é uma pessoa inteira, sem preconceitos ou idéias medíocres na cabeça. Nenhum trabalho é indigno ou é próprio do homem ou da mulher, mas tudo contribui para o bem de todos na casa.

- Se cada um em sua casa tiver sua participação nos trabalhos, talvez vc nem precise ter uma empregada todos os dias, mas quem sabe, apenas uma faxineira para o serviço mais pesado uma vez por mês ou a cada quinzena. Sobrará um dinheirinho para coisas que a família poderá usufruir junta. Pense bem. Nossos pais nos ensinaram o que sabemos hoje e devemos ensinar também aos nossos filhos a serem independentes, cuidando de si mesmos, de suas casas, etc...

LIMITES

Esse é um assunto delicado, mas tem que ser dito. Como as crianças de hoje perderam completamente o limite, hein?! Em sua maioria absoluta, não respeitam "aos mais velhos", como também a minha geração nascida em 45 aprendeu. Claro que não precisamos exagerar, pois havia uma ditadura velada e burra naquela época. Mas o que ocorre hoje é uma "porteira aberta", que assusta e põe todo mundo que estiver na frente prá correr.

- Os professores, coitados, sofrem horrores numa sala de aula. Fala-se "para as paredes", na maioria das vezes. E em escolas ditas, para classe A!! Crianças de famílias econômicamente privilegiadas, são até as mais mal-educadas. Não respeitam os colegas, os professores, fazem o que bem entendem. O professor fica rouco, estressado, frustrado, além do salário "desse tamaninho"....

Recomendo os livros de Tânia Zagury, Padre Zezinho e outros bons educadores, aos pais que também devem estar meio perdidos. Tem nas melhores livrarias, vale o investimento pois tem idéias muito boas.

Não fique triste, pois não se trata apenas de seus belos pimpolhos, mas de toda a ssociedade que parece, "desbandeirou". Precisamos tentar resgatar preciosos valores, antes que seja tarde!

Acho que a tv tem uma grande parcela de culpa aí, pois realmente o que ela mostra, diariamente, nada tem a ver com a dura realidade que vivemos, fazendo malabarismos para tentar sobreviver aos planos econômicos do governo, aos apagões morais e reais da vida.

Ora são as novelas para débeis mentais, ora são as músicas, que chegam a ser verdadeiros insultos de tão óbvias, "grossas" e apelativas, ou os programas de auditório, as "feiticeiras", as "banheiras", ensinando precocemente às crianças uma sensualidade e sexualidade que elas poderiam deixar para mais tarde, e curtir agora sua infância. Que valores estão sendo passados para crianças tão pequenas ainda? Ou seriam contra-valores? Pense bem, não se acomode, dizendo que "hoje em dia é tudo assim mesmo". A sociedade pode dar um basta, exigir melhores programas, desligar a tv, vender, sei lá. Seu filho (a) vale muito mais do que isso, ou não?

Que bom seria se as crianças fossem motivadas a descobrir o prazer da leitura, de um bom livro, e existem tantos livros infantis, infanto-juvenis, maravilhosos, que desenvolvem a criatividade, a imaginação e aprimoram o gosto pela leitura, pela escrita, pelas letras, artes, etc, que infelizmente está em declínio. Poucos meninos, meninas hoje gostam de escrever, de ler. O que é uma grande pena.

Ensine aos seus filhos o valor da solidariedade, a importância de ser capaz de ajudar um outro ser, não tão privilegiado, quem sabe....

Você mesmo, com tantos talentos, educação, cultura, poderá ajudar outras comunidades, outras crianças, jovens que precisam aprender e não têm como pagar.... busque uma ong, uma associação, uma escola para crianças/jovens carentes, ensine o que sabe. A alegria de poder dar de si mesmo vai contagiar sua vida. O melhor remédio para depressão, sem dúvida! :-)

LEIA O ARTIGO: "A BANALIZAÇÃO DA INJUSTIÇA SOCIAL". IMPRIMA-O E LEIA, REFLITA SOBRE! Vale a pena!

 

 

 


"A Fé sem obras é morta" (Tg. 2,17). Por isso irmãos, mãos à obra! Há inúmeros irmãos nossos precisando de tudo, e Tudo. Há muito o que fazer por esse mundo afora! Milhões passam fome, estão desempregados, analfabetos, nus, nas prisões, nas creches, nos asilos, são drogados, prostituídos, estão abandonados, desprezados, esquecidos.... Não podemos cruzar os braços, nunca! Nem como cristãos, nem como seres humanos. O grande Betinho que se dizia ateu, foi mais cristão que muitos de nós que nos declaramos tais. Aproveitemos enquanto é Dia, enquanto é tempo.... Muitos esperam por nosso amor, nosso sorriso, nossa acolhida, nossa ajuda material. Às vezes só um pequeno gesto representa muito. Por exemplo, ajudando a organização internacional "Ajuda À Igreja Que Sofre", você estará ajudando a milhares, pelo mundo afora. É um trabalho sério e dedicado aos mais pobrezinhos. Você pode visitar o site, pedir um carnê para contribuir mensalmente com o que você puder. Seja solidário: "O que fizerdes ao menor desses pequeninos, a Mim mesmo o fizestes, diz o Senhor! (Mt, 25,40). Clique na imagem acima para ir ao site deles. "É mais alegre dar que receber", diz o Senhor!

 

 

O NAVIO DA VERGONHA

"A nau carregada de meninos escravos entre 12 e 19 anos vagueou pela costa africana. Eram 250 escravos ainda crianças, mas de corpo robusto. Vendidos pelos próprios pais pelo preço aviltante de 14 a 28 sestércios, a depender da idade e da força dos braços; comprados a não mais de 100 sestércios por fazendeiros africanos, iriam engrossar as lavouras por um salário que não valeria mais de 30 bilhas de água ao mês: uma bilha por dia."
Poderia ser o começo de um romance sobre a escravidão no século 30 antes de Cristo. Infelizmente não é. Onde se lê nau, leia-se navio; onde se lê bilha, leia-se galão de água; onde se lê sertércios leia-se dólares; transporte-se a cena para Semana Santa, abril de 2001 e terão o quadro triste da escravidão moderna. Escravocratas ainda existem, crianças escravas ainda existem. Há milhares de moças africanas vendidas para a Europa por 50 dólares para trabalhar como prostitutas, crianças vendidas e compradas por menos de 20 dólares no norte da África e, para vergonha nossa, em alguns lugares do Brasil.
Tudo é disfarçado sob formas legais, mas o resultado é o mesmo: prisão nos locais de trabalho, descontos que não dão em nada e moças e rapazes que desaparecem sem deixar vestígio. Tudo isso em pleno século XXI, onde se luta pela sobrevivência das focas e baleias e onde até cãezinhos de estimação ganham festa de aniversário sob o enfoque da mídia.
Seria fácil acusar as autoridades, mas parece-me dever de todos os que possuem computador, e-mail, site, microfone, televisão e folhas de jornal à sua disposição protestarem contra tais atos de barbárie. Ontem um cidadão indignado contra isso nada podia fazer. Hoje podemos. Alguém deve saber o nome dos donos do navio, dos que vendem e dos que compram. Prestaria enorme serviço à humanidade se jogasse isso para o mundo. Que a notícia que desperta curiosidade, também desperte indignação e solidariedade e que se faça alguma coisa para que no desespero os pais não vendam seus filhos, nem haja compradores. Que o mundo se organize como se organiza para salvar as focas e os golfinhos.
A escravidão não acabou. Apenas ficou mais sofisticada. Que o combate a ela também se modernize. A caridade deve ser a de sempre, mas pode e deve ser modernizada. Fale disso no seu site ou no seu e mail.
Pe. Zezinho, scj

 

Denuncie crimes sexuais contra crianças pelo tel: 0800-300190!

 

Ensina a teu filho (Leia!!!)


Ensina a teu filho que o Brasil tem jeito e que ele deve crescer
feliz por ser brasileiro. Há neste país juízes justos, ainda que esta
verdade soe como cacófato. Juízes que, como meu pai, nunca empregaram
familiares, embora tivessem filhos advogados, jamais fizeram da
função um meio de angariar mordomias e, isentos, deram ganho de causa
também a pobres, contrariando patrões gananciosos ou empresas que se
viram obrigadas a aprender que, para certos homens, a honra é
inegociável.
Ensina a teu filho que neste país há políticos íntegros como Antônio
Pinheiro, pai do jornalista Chico Pinheiro, que revelou na mídia seu
contracheque de parlamentar e devolveu aos cofres públicos jetons de
procedência duvidosa.
Saiba o teu filho que, no monolito preto do Banco Central, em
Brasília, onde trabalham cerca de 3 mil pessoas, a maioria é honrada
e, porque não é cega, indignada ante maracutaias de autoridades que
deveriam primar pela ética no cargo que lhes foi confiado.
Ensina a teu filho que não ter talento esportivo ou rosto e corpo de
modelo, e sentir-se feio diante dos padrões vigentes de beleza, não é
motivo para ele perder a auto-estima. A felicidade não se compra nem
é um troféu que se ganha vencendo a concorrência. Tece-se de valores
e virtudes e desenha, em nossa existência, um sentido pelo qual vale
a pena viver e morrer.
Ensina a teu filho que o Brasil possui dimensões continentais e as
mais fertéis terras do planeta. Não se justifica, pois, tanta terra
sem gente e tanta gente sem terra. Assim como a libertação dos
escravos tardou, mas chegou, a reforma agrária haverá de se
implantar. Tomara que regada com muito pouco sangue.
Saiba o teu filho que os sem-terra que ocupam áreas ociosas e prédios
públicos são, hoje, chamados de "bandidos", como outrora a pecha caiu
sobre Gandhi sentado nos trilhos das ferrovias inglesas e Luther King
ocupando escolas vetadas aos negros.
Ensina a teu filho que pioneiros e profetas, de Jesus a Tiradentes,
de Francisco de Assis a Nelson Mandela, são invariavelmente tratados,
pela elite de seu tempo, como subversivos, malfeitores, visionários.
Ensina a teu filho que o Brasil é uma nação trabalhadora e criativa.
Milhões de brasileiros levantam cedo todos os dias, comem aquém de
suas necessidades e consomem a maior parcela de sua vida no trabalho,
em troca de um salário que não lhes assegura sequer o acesso à casa
própria. No entanto, essa gente é incapaz de furtar um lápis do
escritório, um tijolo da obra, uma ferramenta da fábrica. Sente-se
honrada por não descer ao ralo que nivela bandidos de colarinho
branco com os pés-de-chinelo. É gente feita daquela matéria-prima dos
lixeiros de Vitória que entregaram à polícia sacolas recheadas de
dinheiro que assaltantes de banco haviam escondido numa caçamba.
Ensina teu filho a evitar a via preferencial dessa sociedade
neoliberal que nos tenta incutir que ser consumidor é mais importante
que ser cidadão, incensa quem esbanja fortuna e realça mais a
estética que a ética.
Saiba o teu filho que o Brasil é a terra de índios que não se
curvaram ao jugo português e de Zumbi, de Angelim e frei Caneca, de
madre Joana Angélica e Anita Garibaldi, dom Hélder Câmara e Chico
Mendes.
Ensina a teu filho que ele não precisa concordar com a desordem
estabelecida e que será feliz se se unir àqueles que lutam por
transformações sociais que tornem este país livre e justo. Então, ele
transmitirá a teu neto o legado de tua sabedoria.
Ensina teu filho a votar com consciência e jamais ter nojo de
política, pois quem age assim é governado por quem não tem e, se a
maioria tiver a mesma reação, será o fim da democracia. Que o teu
voto e o dele sejam em prol da justiça social e dos direitos dos
brasileiros imerecidamente tão pobres e excluídos, por razões
políticas, dos dons da vida.
Ensina a teu filho que a uma pessoa bastam o pão, o vinho e um grande amor.
Cultiva nele os desejos do espírito.
Saiba o teu filho escutar o silêncio, reverenciar as expressões de
vida e deixar-se amar por Deus que o habita.
Frei Betto é escritor
Publicado pelo jornal O Estado de S.Paulo em 4/7/2002

***

 

Visite o site do Dr. Augusto Cury, psiquiatra, pesquisador, cientista, escritor com vários excelentes livros 'best-sellers', onde você aprenderá como participar do "Programa da Academia de Inteligência de Qualidade de Vida - PAIQ". Depois volte para esse site e continue sua visita!

Visite também o site do Professor Içami Tiba, autor de excelentes livros sobre educação de nossas crianças. Elas precisam de um limitezinho, sim senhor!

Idem, de Tania Zagury - Eduque sua 'ferinha'. A comunidade agradece!

Brasileiros Pocotó

 

 

[principal] [primeiros passos] [planeta azul] [trabalho] [vestir o que?] [alimentando-nos] [meio-ambiente] [exercitando-nos] [textos] [administrando as contas] [mais compromisso] [mais saúde] [mais beleza] [mais livres] [voluntarios] [cidadãos do planeta Terra] [links] [livros] [entre em contato]